20151225_203320998_iOS
27/12/2015

Blink – The Power of Thinking Without Thinking

O que se passa em nossa cabeça quando temos que tomar uma decisão em frações de segundo? Sim, pense como reagiria em situações de perigo, assim como um confronto frente à frente a um policial e um aparente inimigo que pode mata-lo ou não, caso ele decida não atirar… Isso em um desfecho de 1 segundo. Agora pense em situações corriqueiras de como seu rápido julgamento pode te levar ao acerto ou a um erro crucial.

O livro trata da forma como somos influenciados por ambientes externos e também como nossas raízes, preconceitos e experiências podem nos ajudar ou podem atrapalhar a forma como tomamos nossas decisões diárias:

1 – Thin Slice

Existem formas de pensar e todos nós quando nos deparamos com alguns desafios quebramos em pedaços os problemas para sermos mais assertivos e nesta parte do livro o escritor lista um grupo de pesquisadores que através de vários estudos das faces e trejeitos humanos e a forma de falar, conseguem reconhecer se um casal está bem relacionado, se está à beira do abismo ou até mesmo chegando nele.

2 – Locked Door

O inconsciente, algo misterioso, mas algo que se pode treinar, onde nesta parte do livro o escritor descreve exemplos que o inconsciente consegue prever ações e tirar conclusões sem mesmo que a própria pessoa que o utiliza saiba como faze-lo. Um exemplo é Braden, ex-jogador de Tenis e um excelente técnico, que consegue acertar quase todas as dupla-faltas de uma partida, onde isso ninguém mais consegue. Isso deve-se ao seu inconsciente ter aprendido algo de acordo com tanta experiência que você teve sobre algum mérito. Outrossim, é a forma como encontros de casais de 5 minutos são efetivos e conseguem fazer com que os pares ideais sejam unidos. Este é um exemplo básico de que seu inconsciente te ajuda a escolher, onde em 5 min você já consegue ter um julgamento de seus gostos, porém neste mesmo exemplo ele descreve que você escolhe aquilo que te agrada e não aquilo que você gostaria que fosse o melhor para si. (Agora pense por que sempre escolhe os cafajestes, mesmo não os querendo rs rs…)

3 – The Warren Harding Error

Ouvia de um chefe que ele não saia de casa sem os seus preconceitos, e infelizmente isso é verdade… Quando os seus preconceitos entram em campo para te ajudar/atrapalhar seus julgamentos? Resposta: Sempre!

O escritor traz a tona um capítulo da história americana que faz com que você, brasileiro, repense sua forma de votar :) ! Neste capítulo ele menciona que um incompetente com uma ótima aparência combinado com uma boa propaganda consegue se tonar um presidente! Por que? Por que somos influenciados pelas aparências e elas são derivadas dos nossos preconceitos de bom e ruim.

Nesta parte do livro ele detecta através de um simples jogo e com dados estatísticos probatórios que quando falamos de preconceito, seja ele sobre mulheres, negros, asiáticos ou qualquer outro, estes atrapalham no seu julgamento rápido, que faz com que você inconscientemente ponha-os em peso nas decisões rápidas, mesmo não sendo preconceituoso.

 4 – Paul Van Riper’s Big Victory

Durante os capítulos anteriores se lê vários exemplos de como pode se dar bem ou mal durante o seu snap-judgment, e nesse capitulo ele transcreve o confronto entre um militar de alto escalão e com muita experiência em combate contra um programa do pentágono que fornece e cruza várias e muitas informações.

Primeiro encontro entre a velha guarda e a nova: Durante os dois combates a velha guarda tomou decisões rápidas mediante as informações limitadas, que tinha mas com um expertise enorme, enquanto a nova guarda ficou totalmente perdida com tanta informação.

Vencedor Velha Guarda. Segundo Encontro: Nova Guarda: Segundo confronto a nova guarda conseguiu entender o que está acontecendo e filtrou informações necessárias para a batalha.

Conclusão? Nenhuma é auto-suficiente, ambas se autocomplementam, porém uma coisa foi acordada que informação demais gera confusão.

5 – Kenna’s Dilemma

Como saber o que a população gosta ou vai gostar? Somente o gosto ou somente a aparência valem para vender um produto? Como os testes cegos funcionam, ou como eles deveriam funcionar?Simples, ele descreve como testes cegos podem trazer o resultado errado e como esses testes trouxeram erros em estratégias em empresas como a Coca- Cola.

Neste capítulo ele passa por comportamento de massa e como os resultados em testes incorretos e mal direcionados levam as empresas à campanhas ou produtos fadados a morrer.

 6 – Seven Seconds in the Bronx

Em uma situação que você se encontra entre a vida e a morte e você precisa tomar a decisão entre atirar ou esperar, como seu corpo e sua mente reagiriam? Neste capítulo ele trata a forma como o seu instinto, seu ser trabalha em situações extremas de perigo, como no caso do Bronx que 4 policiais mataram um inocente que achavam que estava sacando uma arma.

Ele entra no trabalho de como treinar seu inconsciente para ficar mais calmo e como lidar com esses tipos de situação.

7 – Conclusão do Livro

(Não vou adiantar esta parte…)

Não poderia recomendar mais este livro espetacular que aborda mais a fundo como o nosso cérebro trabalha e como ele pode julgar e tomar decisões rápidas dando exemplos práticos associado a pesquisas científicas.

Li várias resenhas de outros blogs e o que mais me surpreendeu foi que cada blog entendeu de uma certa forma as leituras da mente, onde uma estava dizendo que a decisão rápida é boa, outros dizendo que temos que treinar muito bem o inconsciente. Mas para mim o certo é saber que existem ocasiões que se pode tomar decisões rápidas via instinto e outras que você deve treinar seu cérebro para saber reagir as pressões e decisões rápidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>