20180511_152055

Ao longo  das minhas férias tive a oportunidade de conhecer a vasta cultura e história peruana e durante esses dias visitei as maravilhas dos Incas, desde Ollantaytambo e Lago Titicaca ( com famílias que constroem suas próprias ilhas flutuantes para morar sobre o lago ) até Machu Picchu.

Todo o tempo ouvi histórias magníficas do povo Quéchua* e fiquei me “lamentando” da forma como os Europeus, mais especificamente os espanhóis quase acabaram com essa cultura tão rica, forçando o catolicismo, mudando as prioridades econômicas e destruindo monumentos andinos.

Indo atrás de informações para entender como a civilização Inca chegou a ser tão majestosa, entendi que como qualquer outra potência eles também conquistaram à força outros povos menos desenvolvidos subjugando tais civilizações a ponto de eliminar rastros culturais e assim espalhando e tentando perpetuar sua cultura e poder por todo território.

O processo de conquistas e dominação de outros povos é natural e deve acontecer onde o mais forte e/ou mais evoluído se sobressai aos mais fracos impondo sua cultura, mudando a forma de pensar dos demais, forçando assim a evolução normal da humanidade.

Traçando um paralelo com o mundo TI atual, onde antes nos anos 70 a Xerox e a IBM eram o suprassumo da tecnologia criando as principais inovações tecnológicas focadas em hardware e em soluções empresariais (assistam Piratas do Vale do Silício) […]